quinta-feira, 31 de março de 2011

CABALA – quem consegue explicar?

Essa é uma das perguntas que mais tenho ouvido em meus atendimentos. Todos querem conhecer um pouco mais sobre o tema que, ao mesmo tempo, nos oferece tão poucas informações concretas para explicá-lo.
O problema está na extensa lista de interpretações para essa denominação, embora quase todas nos direcionem praticamente para um mesmo caminho. Traduzindo de uma forma bem simples, Cabala é a interpretação de uma realidade que está além da percepção da palavra, ou seja, a vibração que ela contém.
Quanto à tradução do termo, cada autor tem uma preferência distinta, embora também neste caso as direções apontadas pela maioria não sejam tão diferentes.
Na revista Meditação, da Editora 3, Cabala significa "O recebimento".
O livro "A Cabala", de Henri Sérouya, traz o significado de “Tradição".
Charles Fielding traduziu como "Aquilo que foi recebido" em seu livro "A Cabala Prática".
Explicando que Cabala deriva do hebreu "QBL", Alan Richardson, no livro "Cabala Mística", garante que o termo se traduz como "Da boca para o ouvido", ou seja, Tradição Oral.
Para Francisco Valdomiro Lorenz, autor de "Cabala, a Tradição Esotérica do Ocidente", o termo vem do verbo hebraico Kabôl, que também se escreve “Qabbalah”, com o significado de "Transmitir".
"Receber a luz" é a tradução de Sigalith H. Koren no seu "Almanaque da Kabala".
Como se pode observar o leque de significados é imenso, embora haja uma preferência da maioria para o termo “Tradição Oral”.

Deni Píàia

Um comentário: